Tem amor que acende a lua!

Em 08.07.2016   Arquivado em O que me inspira
0
0

Estive lendo a revista GLOSS, que atualmente já não é mais publicada. (A primeira edição circulou em outubro de 2007. Em 02 de Agosto de 2013 foi anunciado o fim da circulação devido ao baixo índices de vendas.) Achei um texto muito legal da editora: Sílvia Amélia professora de jornalismo da UFMG, que diz o seguinte:

Tem amor que acende lua. Mas também tem aquele que apaga o seu brilho e a torna uma pessoa opaca (e nem deveria ser chamada de amor). tumblr_lstnq9n4nh1r04yiv

Numa aula do curso de jornalismo, pedi a cada estudante que escrevesse um texto sobre si mesmo. Li em voz alta um trecho de uma aluna que dizia: “Tenho um namorado maravilhoso”. Expliquei que o “maravilhoso”, nesse contexto, não significava nada, já que se espera que todo namorado seja maravilhoso. A turma toda me olhou intrigada. “Uai, gente, se o cara não é maravilhoso com você, não tem por que ele continuar sendo seu namorado, não é?” Eles riram. Na verdade, meu objetivo como professora era ensinar que fatos são mais convincentes do que adjetivos. Quando fossem escrever suas reportagens, eles deveriam se lembrar de descrever pessoas com base nas suas atitudes.

Mas acho mesmo que todo namorado deveria ser maravilhoso, ainda que saiba que muitos deles não passam nem perto disso. Maravilhoso é o namorado que acende a sua vida. Já repararam que tem o “namorado que acende” e o “namorado que apaga”? O namorado que acende ilumina nossa história. Ao lado dele, a gente sente uma onda de alegria, coragem e liberdade. Ele nos dá força e faz com que sejamos exatamente como somos, só que melhores. Sentimos mais energia, mais clareza sobre nossos desejos. Namorado que acende é aquele que bota pra frente, que comemora suas vitórias. Qualquer pessoa vê o brilho de uma mulher que tem um cara assim com ela.

E todo mundo também percebe, se reparar bem, quando o namorado apaga a moça. É aquele que não gosta do chefe dela (mesmo que ela o adore) e que diz que os amigos de faculdade dela são todos idiotas. Critica quando ela corta ou pinta os cabelos e acha estranho que ela queira viajar sozinha. E tem certeza de que o curso que ela sonha em fazer no exterior não vai levar a progresso nenhum na carreira dela. O namorado que apaga, não confia nos talentos da namorada. E, por acreditar nele, acaba se tornando uma pessoa opaca. Daí que eu só penso uma coisa: pra quê?

Qual o sentido de continuar ao lado de alguém que apaga a sua existência?

cuplover_arabesco (2)Opinião da blogueira:cuplover_arabesco (2)

 

Adorei o texto e concordo com o que a autora Sívlia escreve, acho que todos nós devemos ser o que realmente somos e estar perto de uma pessoa que muitas vezes não aceita ou não consegue se adaptar a nossa própria essência é perder tempo, é perder vida. Somos seres inteiros e não precisamos estar ao lado de quem nos despedaça!  É muito triste ver  algumas meninas, lutando pelo namoro e acreditando fielmente naquele que vive ao seu lado, por puro amor,  enquanto todos já sabem que o cara não é de nada e sim um parasita que vai sugando toda energia, a vida, a intensidade a luz que sua namorada tem. Sei que muitos de você já vivenciaram exemplos como esse e irão entender perfeitamente do que se trata..  E não querendo só focar no gênero feminino, pois tem muito homem que sofre também, convivendo com mulheres sangue-sungas (em todos os sentindos).

Finalizando então, fica a dica aí para todos nós refletirmos um pouquinho sobre o que realmente vai nos fazer bem. Querer a distância de todas as pessoas (porque não são só os(as) namorados(as) e sim amigos, conhecidos e as vezes até mesmo familiares, que tiram nossas forças), não é pecado e sim preservação de vida.  Então nada de opacidade no bem estar, não, (mesmo eu achando as cores opacas lindas, mas só as cores!) A vida tem que ter muita luz e nós temos é que brilhar!

Beijos e até +!!

 

 

Ei! Não saia sem me contar o que achou do blog ou sua opinião sobre a postagem. Vou adorar saber!

  • Bea Pires

    Em 08.07.2016

    Além de adorar a estética do seu blog, esta foi a primeira postagem que li na íntegra e virei fã 🙂
    Relativamente à sua opinião, estou super de acordo!
    Muito sucesso! Beijos

  • Eliziane Dias

    Em 08.07.2016

    Ianca, eu adorei a reportagem. Talvez a revista não tenha tido tantas vendas por abordar assuntos com bons conteúdos. Devo lhe dizer que bons conteúdos são raros de vender. Muitas vezes, o que faz sucesso é o comum, o medíocre e não o original. Inclusive essa questão dos adjetivos citado pela professora, me ajudou muito na minha prática da escrita. Vou usá-la! Vai ser mais rico descrever ações positivas de pessoas e personagens para demonstrar como eles são do que colocar adjetivos que os caracterizem. Seu blog é realmente lindo. Muito delicado e bem feito. Gostei dele. Gostei de você! Sucesso!

  • Aline Belloni

    Em 08.07.2016

    Cara, esse texto faz muito sentido, além de nos fazer refletir quanto nossos companheiros ou companheiras.
    Relacionamento é bem mais que adjetivos, é preciso ver além, cada detalhe, cada sinal de que vale ou não a pena.

    Sério, amei o post!

  • Mari

    Em 08.07.2016

    Amei o seu post e a ideia de resenhar textos! Nunca ouvi falar dessa revista haha! Que pena que parou a circulação, o texto é maravilhoso! Amei!

    Bjos Blog Marinspira

  • Maiara

    Em 08.07.2016

    Adorei essa análise, parabéns ❤

  • Vanessa Rezende

    Em 08.07.2016

    Amei o seu post.
    Já me afastei de pessoas assim e a minha vida melhorou muito, todos deveriam ter a coragem de se distanciar de gente que apagam o nosso brilho, a nossa essência…
    Beijos!

  • Rayanni Araujo

    Em 08.07.2016

    Olá, adorei o post! Vejo muito isso entre meus círculos de amigos, sempre tem aquele que ”ofusca” o brilho do parceiro.
    Um beijo.

  • Tatiana Castro

    Em 08.07.2016

    Olá!
    Uma pena as revistas saírem de circulação. Assinava a Set, que era sobre cinema e adorava.
    O meu objetivo de vida é ser uma pessoa que acende e espero isso das pessoas que me rodeiam.
    Beijos!
    Gatita&Cia.

  • Ianca

    Em 08.07.2016

    @Eliziane Dias – Oi Eliziane! Que surpresa receber um comentário como este!
    Sem dúvida, tirou os pensamentos do meu cérebro, vamos dizer assim! Haha
    Não querendo generalizar, mas geralmente as coisas boas, as coisas que merecem ser ouvidas, olhadas, e pensadas, ninguém da muita importância ou quer saber..
    É por isso que vivemos em um Brasil onde o que é superficial, de pouca informação faz sucesso!
    Apesar de ser uma tarefa um pouco mais ‘dificultosa’, dá muito mais sentindo ao que vamos expressar em nossos textos ou resenhas. A dica da professora é ótima! Hahaha
    Beijos, foi bom ter vc aqui!

  • Ianca

    Em 08.07.2016

    @Mari – Oi Mari, que bom que curtiu! Haha
    Ela já é meio ‘antiguinha’, por isso ninguém deve conhecer, suponho!
    Beijos! ^-^

  • Ianca

    Em 08.07.2016

    @Aline Belloni – Oi Aline, sim é exatamente isso que vc disse!
    É necessário fazer uma auto análise para cada coisa que nos faz feliz ou vai nos deixando para baixo!
    Beijos e até +!

  • Ianca

    Em 08.07.2016

    @Bea Pires – Oi Bea! Obrigada!
    Seu blog é carregado em conteúdo, singelo e sincero também!
    Seus textos são lindos! Adoro!
    Beijos! <3

  • Ianca

    Em 08.07.2016

    @Vanessa Rezende – Pois é Vanessa, acho que são poucas as pessoas que não tiveram experiências como essa. E é isso mesmo que falou, o pior de tudo e sentir-se preso e não ter coragem para dar um ponto final!
    Beijos!!

  • Ianca

    Em 08.07.2016

    @Rayanni Araujo – Oie!
    É verdade, isso esta muito presente hoje em dia e as vezes nem percebemos! Mas o importante é procurar ser um pessoa melhor sempre!
    Beijos!

  • Ianca

    Em 08.07.2016

    @Tatiana Castro – Oi! Uma pena mesmo! Eu gostava muito!
    Acho que todos nós de algum modo devemos procurar ser pessoas que enchem de luz ao invés de sugar dos que nos cercam.
    Beijos! E até mais!

Blue Captcha Image
Atualizar

*