Deixa-me Ser

Resenha: Carta de Amor aos Mortos – Ava Dellaira

Download-Cartas-de-Amor-aos-Mortos-Ava-Dellairaem-ePUB-mobi-e-PDFTítulo: Carta de Amor aos Mortos

Autor(a): Ava Dellaira

Editora: Seguinte

Número de páginas: 337

Ano de publicação: 2014

Sinopse: Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Kobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ladger… apesar de ela jamais entregá-las à professora. O que parecia uma simples lição de casa logo se transforma na maneira de Laurel lidar com seu primeiro ano em uma escola nova e com a família despedaçada depois da morte de sua irmã.

Vamos lá!

Laurel é uma menina de 15 anos, doce, ingênua, sensível e carrega uma dor grande em seu coração! Uma menina de olhos marejados, profundas tristezas e ao mesmo tempo com uma revolta com a vida por terem tirado dela o que mais amava. May era sua irmã uns dois anos mais velha que ela, May era sua inspiração, sua melhor amiga, companheira, seu escudo para com os medos e incertezas do mundo. Era May que a protegia, incentivava, transmitia sonhos, semeava fantasias e magia. Aos olhos de Laurel sua irmã, era a menina mais linda que conhecia, destemida, corajosa, sem medos, amava a vida como ninguém, mas talvez Laurel não soubesse a real verdade.                                                                                                            

May também podia voar! Laurel não..                                                                                                          

Laurel passou sua vida se espelhando na irmã, admirando-a e querendo ser como ela.    

Até chegar o dia em que May voa para longe e nunca mais volta…

Seus pais estavam separados há dois anos, e depois que May partiu, a família desmoronou. O pai de Laurel se tornou um cara sem vida e expectativas, vivendo como um robô apenas fazendo suas funções e apesar de amar Laurel com todas as forças, não sabia demostrar seus sentimentos. A dor foi tanta para a mãe de Laurel que ela partiu para Califórnia, deixando a filha com a tia. Então Laurel passava os dias alternando da casa do pai para o da tia e vice-versa. E era nessas idas e vindas que a menina aproveitava para dar as escapadas. Laurel muda de escola, pois não suportaria todas as pessoas que conhece olhando para ela com piedade e fazendo perguntas. Na nova escola, Laurel se sente perdida, sem amigos.  É na aula de inglês que a professora Sra. Buster da uma tarefa aos alunos: escrever uma carta para uma pessoa que já morreu. 

Laurel de inicio escolhe Kurt Cobain da banda Nirvana (banda preferida de May e dela também) para escrever. Ela faz um desabafo e acaba por não entregar a carta para a professora.  A experiência que Laurel teve com a carta, faz com que continue escrevendo mais cartas ao longo dos meses que se passam naquele ano. Como se fosse seu refugio em relação a perda e dificuldades que esta vivendo, Laurel escreve para Janis Joplin, Amy Winehouse, River Phoenix entre outras personalidades que partiram deixando um legado e algo de bom no mundo. Laurel escreve as cartas juntando as vidas de cada personalidade com a sua vida, a de May e o que esta vivendo no momento. 

Uma das coisas que mais gostei foram que Laurel conversa com essas pessoas mostrando não só o lado artístico, mas o lado humano de cada um, o leitor enxerga o outro lado da moeda e assim nos faz refletir sobre.  A ideia que Laurel (uma menina introvertida), usa para lidar com o luto de sua irmã é criativo e nada melhor do que personalidades que ela idolatra e tiveram seus traumas, seus por centos de dor e sofrimento assim como a personagem, para entendê-la. É através deles que Laurel se comunica com a irmã e com si mesma, tentando entender os pontos que a levaram até ali.

 Ao longo dos dias na escola, Laurel conhece e faz amizade com Natalie e Hannah duas meninas que sabe o que é ser diferentes e esquisitas para as outras pessoas.  As duas meninas escondem segredos e levam Laurel nas suas vidas, vivem intensamente com a alma que só quem já foi jovem de verdade pode sentir.   A rebeldia, ousadia, confusões e os conflitos dessa mutação de adolescente jovem para adulto, estão sempre presentes nas vidas dessas meninas, que saem, se embebedam, fumam e anseiam pela libertação de todos os sentimentos ruins nos corações de cada uma daquelas almas esvoaçantes. Laurel se descobre crescendo, vivendo de uma maneira que nunca tinha pensando antes, se apaixona por um menino misterioso com o nome de Sky. A paixão é instantânea, e Laurel a todo o momento não se desprende de sua irmã, para onde quer que vá o que quer que faça, May está sempre em sua cabeça, Laurel está sempre tentando descobrir o motivo pelo qual May quis partir e carrega uma culpa que na verdade não é dela. O amor entre eles cresce e precisam se descobrir e desvendar os mistérios um do outro.  Sofrem e aprendem juntos. Laurel ao longo do livro conforme as cortinas vão se abrindo ela se toca de que May era diferente do que ela sempre pensou sobre a irmã, e novos conflitos internos surgem com a personagem, pois ela precisa perceber que  May era uma menina comum assim como ela mesma, tinha medos e receios como qualquer outra garota tem, e a glorificação toda que Laurel tinha em cima da irmã precisa ser deixada de lado para poder ver a realidade. E assim perdoar não só a irmã, mas tudo que esta a sua volta, como seus pais, a vida e a si mesma.

2016-01-29 16.26.50

Carta de amor aos mortos, – que livro inspirador – só posso dizer que me tocou profundamente a ponto de me dar uma vontade enorme de viver com Laurel, querer fazer parte disso, desse meio em que ela vivia por mais doloroso que fosse, ser amiga dela, participar de sua vida. Identifiquei-me tanto com ela e seus amigos que ficava me perguntando: Poxa, porque vocês não existem de verdade?  E acho que quase todos que leram, também tiveram de um jeito ou de outro, vontade de estar perto de verdade de Laurel. Ava Dellaira vai tratar também da homossexualidade e a maneira como ela faz isso é tão bacana, tão pura que vai deixar o leitor com raiva da sociedade e se questionando: – Caraca porque que as pessoas não entendem a situação?! Acaba sendo frustrante de tão incrível que é a história desses personagens e da incompreensão das pessoas que só vêem as coisas do lado de fora. Alguns dizem que o livro é meio pesado, mas não acho que seja pesado, e sim um livro bem sentimental e intenso ainda mais pra quem vive ou já viveu algo parecido. O livro é narrado em primeira pessoa por Laurel e cada capítulo é uma carta. O jeito que Ava escreve é demais, e mais incrível é como a história de cada personagem se engloba, como toda a história é entrelaçada e como o final se encaixa perfeitamente com o todo. A capa do livro é lindíssima e leve, as cores foram bem combinadas e entrou para a categoria das minhas capas mais lindas. Não sei mais o que posso dizer desse livro, apenas pedir que leiam e esperar que gostem e que tenham a mesma experiência emocionante que tive.  Vou guardar pra sempre esse livro em meu coração.

Quotes:

"…somos todos estranho de um jeito diferente, e isso é normal."

" – O universo é maior do que qualquer coisa que cabe na sua cabeça.  Então eu fico dando voltas. E ainda não sei como dar sentindo ao mundo. E tudo bem se ele ser maior do que o que podemos abarcar. Porque, quando você fala em beleza, não está falando de algo bonito, está falando de algo que nos torna humanos."

"Todos nós queremos ser alguém, mas temos medo de descobrir que não somos tão bons quanto todo mundo imagina que somos."

"… porque sei que pode ser difícil acreditar que alguém te ama, se você tem medo ou não sabe exatamente quem é."

"E talvez amadurecer signifique que você não precisa ser uma personagem seguido o roteiro. É saber que você pode ser a autora."

Classificação: Modelo1-Favorito

 

Comentários do Facebook
3
0
Desafio Literário – 2017
Resenha: Não se apega, não – Isabela Freitas
Livros de Janeiro – 2016

Blue Captcha Image
Atualizar

*

9 comentários
  • Luma

    Esse é um dos meus livros favoritos! Simplesmente me apaixonei pola história dá Laurel e me indentifiquei muito com ela!

    Responder
  • Bruna

    Nossa, muito interessante o livro é eu nunca tinha visto mas agora estou com curiosidade de ler

    Responder
  • Ariadne

    Olá, menina que livro! Parece muito bom, achei interessante o fato de Laurel escrever cartas aos artistas mostrando também o lado humano deles, é bom até para nós leitor ver facetas da vida dessas personalidades que não havíamos percebido antes. Fiquei curiosa. ótima resenha, parabéns!

    bjus
    Ari

    Responder
  • Ingrid

    Eu adorei a sua resenha!! Esse livro eu não conheço não, mas já vou colocar aqui na minha listinha para ler ainda esse ano.
    Eu amo livros de romance e essa sua resenha está ótima!

    Responder
  • PAULA Tavares

    Adorei o post…compro muitos livros por ver reresenhas dicas.

    Responder
  • Michele Raggio

    Esse livro nos faz uma profunda reflexão, não! Gostei bastante da sua resenha, parabéns pelo post e pelo blog!!!!

    Responder
  • TABATE TAUANE DA SILVA

    Que resenha mais linda, sou apaixonada por livros assim, vou procurar.

    Parabéns pela resenha, bjos —> https://deualoucanatatau.wordpress.com/

    Responder
  • Yara Santos

    Simplesmente apaixonada por essa resenha. De alguma forma já me sinto profundamente tocada por essa história. No início fiquei pensando como me sentiria acontecendo isso comigo.. De que forma eu reagiria.. Já quero ler essas cartas de amor.. Parabéns pela resenha.. Um beijo..

    Responder
  • Scarllet

    Amei a resenha sou apaixonada por livros e anotei aqui! Senti sua emoção e isso só me deixou louca pra ler! Beijão

    Responder

Acompanhe as novas postagens do blog por e-mail!