Poema: Deixa-me ser..

Em 01.12.2017   Arquivado em O que me inspira
2
0

Olá, tudo bem com vocês?  E pra quem curte poemas, aqui vai meus momentos de inspiração brisada, pra fortalecer a intenção do nome do blog!

Deixa-me ser a lua cheia, o por do sol e o brilho das estrelas. O céu, a terra e o lar. 

Deixa-me ser a rua vazia e a madrugada.  Aquela esquina e namoro no portão.

Deixa-me ser o mendigo da cidade grande, o velho humilde e seu palheiro.

Deixa-me ser a tempestade e a calmaria, a paz e a guerra, o seu paraíso e o seu inferno.

Deixa-me ser a inocência da criança, o incentivo no jovem e o caráter do homem.

Deixa-me ser o pássaro voando. O sofrer do cachorro abandonado.

Deixa-me ser a bailarina dançando, o palhaço achando graça e o doido cantando.

Deixa-me ser o caminho que guia e o que desvia.

Deixa-me ser o almoço com a família no domingo, o frio que me aquece e o calor que me refresca. 

Deixa-me ser a imensidão do oceano, o fogo ardente e abrasador.

Deixa-me ser o café agridoce, a companhia de alguém que te faz bem. Os planos feitos, as decepções, as brigas e reconciliações, sim! Deixa-me ser o amor verdadeiro..

Deixa-me ser a melodia de fundo, que toca na cena dramática do filme.

Deixa-me ser à força da união e a desunião da humanidade.

Deixa-me ser a raiva, a fúria, o medo e o receio.

Deixe-me acreditar no impossível, nas minhas ideologias e crenças.

Deixa-me ser a alegria no seu sorriso e a dor na sua lágrima.

Deixa-me ser cada instante vivido, a lembranças do passado e ânsia pelo futuro.

Deixa-me ser a saudade de tudo aquilo que não vivi!

Deixa-me ser a magoa, o desanimo, a auto piedade,  e outros males mundanos.

Deixa-me ser a bondade, a pureza e a beleza de cada ser..

Deixa-me ser o centro do meu universo e do seu mudo.

Deixa-me ser só um pouquinho, a magia no meu olhar, o meu passo lento e minha brisa sentida.

A menina comum-incomum deixa- me ser. Que explode de amor e paixão, de euforia e emoção, de melancolia e solidão. 

Deixa-me ser os meus sonhos, mesmo que um pouco loucos, impossíveis até..

Deixa-me ser o que aprendi e escolhi, minhas conquistas e derrotas.  Deixa-me ser a essência de mim.

Deixa- me ser minhas músicas, minhas roupas e deixe- me sozinha no meu canto, mas não me abandone. 

Deixa-me ser as neuroses, os ciúmes, as inseguranças e paranoias.

Deixa-me ser a palavra de apoio, meus minutos de compaixão, minha brisa filosófica e meus relapsos de expansão!

Deixa-me ser a minha revolta e rebeldia, o meu problema com hierarquia. Dentro de mim há uma revolução..

Deixa-me ser as dúvidas que perturbam, a incompreensão do mundo e do existir.

Deixa-me ser a confusão mental que em mim habita, do que é certo e errado. Afinal quem pode saber?

Deixe-me florescer a cada primavera e secar a cada inverno..

Deixa-me ter a voracidade de experimentar o novo e essa obsessão por liberdade.

Deixe-me achar bonito o que é bobo e patético! 

Deixe-me ser o que eu quiser!

Deixe-me ser, porque assim eu quero! Porque se não for, não serei eu.

Deixe-me ser e eu deixo-te estar…

Comentários do Facebook

Ei! Não saia sem me contar o que achou do blog ou sua opinião sobre a postagem. Vou adorar saber!

Blue Captcha Image
Atualizar

*